sexta-feira, 25 de março de 2011

...pra re-pousar o coração.

E tem mais uma coisinha:
Tem um monte de coisas que você precisa saber: é que esse processo todo desgastou um tanto disso aqui que eu chamava de mim, sabe? Alguns traços eu já nem tenho mais. Esfumacei umas linhas marcadas que eu tinha. Outros traços eu fiz questão de avivar. Limitei meu falar, expandi meu ouvir, dilatei meu coração. E de tão grande que está, ainda parece vazio. Tenho espaço de sobra, agora. Ah! E já tenho lugar pra guardar aquelas lembranças, nem se preocupe. Não quero tropeçar em lembranças enquanto construo novos cômodos. Por isso eu me lembrei de trocar todos os segredos das fechaduras pra ninguém inventar de entrar com as chaves velhas e bagunçar tudo de novo.  Eu estou me reconstruindo, sabe?. E torço, e rezo pra que minha obra não me condene. Tenho medo disso às vezes, mas passa. Essa inquietação deve ser coisa do novo. É que a gente nunca sabe muito o que fazer quando tem muito espaço pra escolher. Ah! Mas eu ainda quero uma varanda. Não agora. Depois. Uma varanda nesse momento não me faria bem. Mas eu já projetei: Basta eu ter a garantia de que tudo está organizado, que eu quero uma varanda. A vista pode ser qualquer uma. Isso não importa. Mas eu também quero alguém pra sentar comigo e dizer, todos os dias, que eu não escolhi o melhor lugar pra montar minha cabana, mas pra re- pousar o coração.

http://weheartit.com/entry/8001521


Eu estou mudando. E desejo que você também mude. Pra que eu não me reencontre em ti.


Ivanúcia Lopes

3 comentários:

Sinara disse...

Me encontrei nesse post, amiga!! Muitoo bom mesmo...* Não quero tropeçar em lembranças enquanto construo novos cômodos!!

Ivanúbia disse...

lindo texto...

tambem quero uma varanda...A vista pode ser qualquer uma. Isso não importa...

te amo viu?

Samuel disse...

Amiga mais uma vez o texto foi, PROFUNDAMENTE LINDO... é que eu não escolhi o melhor lugar pra montar minha cabana, mas pra re- pousar o coração...