terça-feira, 14 de setembro de 2010

Minha irmã mais nova está mais velha!


- Ela tá mais velha!
- Ãh???
- Minha irmã mais nova...ela tá mais velha. Já tem 22.
- Ah! 


~.~~~.~~~.~~~.~~~.~~~.~~~

Quando ela estava por vir tenho quase certeza que Deus pensou mais em mim do que nela. Não que Deus tenha preferência por algum de seus filhos, mas é que ela, que hoje completa seus 22 anos, naquele tempo de existência embrionária não tinha a menor noção do que representaria na minha vida. Minha mãe me dizia que naquele tempo pareceu a coisa mais inconseqüente do mundo “emendar” um filho no outro. Mas foi o que aconteceu. 

Eu tinha três meses quando minha mãe engravidou. Façamos as contas (Sou péssima em matemática, mas essa eu sei!) quando minha irmã nasceu eu tinha 1 ano e dois meses, oh! Uma moçinha! Não, não era moçinha, era uma criança partida em duas. Sim porque estávamos em todo canto juntas.   E desde esse tempo eu nunca soube o que era levar a vida sozinha, porque tudo que eu tinha eu já não tinha só pra mim. Era pra gente. Era eu e ela. Nós de vestidos iguais, cores diferentes. Nós de shorts da mesma cor, e as blusas clonadas! Indo e vindo prá lá e pra cá, mas no chão parecia refletir uma sombra apenas. Se brigávamos? “- Não, não, magina!”, mas na mesma hora fosse pra ir na padaria ou na bodega, saíamos as duas juntas. Embraçadas, nas ruas, nas calçadas. A briga num dava mais nem sinal de que existira. 

Bem, agora tá explicado então porque nunca sei organizar minhas coisas, nem minha mala de viagem, e nunca sei o que é meu. É, nasci na frente prá ver como era aqui, mas minha “maturidade” nivelada a um ano e dois meses não faz sentido algum, talvez por ter sido presenteada tão cedo com essa irmã maravilhosa. E lembro dos velhos tempos (Oh! Quanta velhice!), quando mainha segurava nossas mãos e nos levava até o portão da escola. Lembro dos uniforme costurados com mais suor do que linha, do tecido sobrado de outra camisa que se faziam duas. Do tênis dividido em suaves prestações, das sombrinhas coloridas que davam o ar da graça (minha graça durou pouco, quebrei antes de pagar!). Lembro quando estudamos a tarde e painho precisava nos levar de bicicleta.

Tantas lembranças! Não tenho história sem ela! Lembro das invenções de brinquedos, das casinhas de bonecas, das comidinhas, da casa na árvore (no térreo mesmo!), do parque no quintal, do leite molico de vó, dos dindins, dos banhos de mangueira, da agonia daqueles mosqueteiros na hora de dormir, dos escorregos pelo chão da casa, das quedas de bicicleta, das coisas todas! Lembro da gente correndo pra pegar o colo de mainha. Da gente no Tum-tum de painho. E recordo quando adiastes algumas vezes os teus sonhos para construir o meu. 

Obrigada pelas lições de generosidade e pelo carinho de sempre.  Eu te amo muito minha irmã. E o que eu puder fazer por ti, eu faço! Quero nem saber!! Olha, e agora meus 14 meses de mais idade parecem fazer diferença. Enchi-me do ar de responsabilidade e coloquei na minha cabeça que é minha vez de cuidar de você. Mas é que sou tão desorientada. Tão perdida as vezes que não sei se consigo. Mas se te servir de alguma coisa, saiba que o que mais quero é ser tão importante pra ti quanto você e pra mim. 

Agora sem  mainha sei que é tudo mais difícil. A gente sabe disso. Mas eu quero cuidar de você. Quero ser sua amiga de todas as horas. Estar do seu lado como sempre. E te ajudar como nunca. Conte comigo Bilinguinha. Eu te amo muito. Eu to aqui com painho abençoando você, e mainha agora, mais do que nunca, está com a gente em todo canto! Como luz a nos guiar!

- Poxa...contei mais de mim do que de você...Não é egoísmo, é reconhecimento de que sem você não sei ser eu.
Deus te abençoe, te guarde e te guie. A tua vida é benção, e eu agradeço a Ele todos os dias.

Amo muito muito muito muito... FELIZ ANIVERSÁRIO!! Minha irmã-amiga-tudo!


Ps.: Tá lá no orkut dela. rsrs

4 comentários:

Emanuella Fernandes disse...

Que lindoooo! Me deu vontade de ter uma irmã iguaal... às duas!

Ivanúcia Lopes" disse...

Own....Brigada Manuu!!

Ivanúbia disse...

adorei o texto...

a verdade é que eu não saberia viver sem você...pq não existe lembrança na minha vida que vc não estivesse do meu lado...

assim...te amo com tudo que posso...e estou aqui para o que precisar...

qualquer coisa só ligar viu? se num tiver carro pra ir...vou correndo mesmo...
minha anja!!!
minha vida!!!

TELMINHA disse...

lindo demais esse texto... sou assim com minha irmã brigo com ela..mas a smo demais.... !! Ivanúcia sempre arrasa nesses textos !!