terça-feira, 3 de agosto de 2010

.
.
.

À minha mãe

Cantar...que bom quando é pra ti...

Já são cinco meses sem ti, minha mãe. Um tempo enorme pra quem não ficava um dia sem saber de ti, ou sem pedir-te a benção. Um tempo infindo pra quem costumava dormir sempre depois daquele beijo. Um tempo duro pra quem não sabia sequer chorar sem ti. Um tempo difícil pra quem nunca pensou em viver sem mãe. Pra quem nunca lembrou que as mães também se vão. Pra quem nunca foi completa sem somar quatro: Painho, Mainha, minha irmã e eu. 

Hoje, meu tempo é de saudades. Tempo de choque de realidade. Tempo de ver a ficha caindo pouco a pouco...e de olhar para trás pra ver meu caminho, sem as marcas dos teus pés ao lado das minhas pegadas. Tempo de crescer, mas meu desejo era de estar em seu colo.

Eu te amarei pra sempre, mainha.





A nuvem branca são os sonhos meus
O sol que aquece são os beijos teus
E as estrelas são a felicidade
É o nosso amor, toda eternidade.


Moacyr Franco

3 comentários:

Ivanúbia disse...

"É saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. ..é saudade de ti mainha. 5 meses de saudade!

Mia disse...

5 meses se passaram tão rápido daquele dia tão angustiante!! Deus tudo provê, prima.
Bjos.

Maria Odete Costa de Oliveira disse...

Ivanúcia
Boa tarde!
Estive visitando o seu blog, fiquei encantada com o teor de seus escritos; embora já os conhecesse.
Você lembra de minha admiração por ti desde o tempo da EMANF, não é mesmo?
Tú estás amadurecendo menina e cada vez mais se lapida como ser que transborda simplicidade e sabedoria, este misto que é característico teu tem se ampliado a cada dia que tú renovas na capacidade de escrever, de ser útil, de amar...
Sou eternamente sua admiradora.
Que Deus abençoe a sua caminhada.
Abraços!
Detinha